CryptoRave 2016: keynote “Terrorismo e Vigilância”

No dia 6 (8PM), iniciaram-se as 24 horas de CryptoRave deste ano com a keynote “Terrorismo e Vigilância” (duração: 1h40). Na mesa, estiveram presentes: Nick Calyx, Ana Roth e David Miranda, todos alvos de vigilância e perseguição sob erradamente alegado terrorismo. Cada página deste post vai trazer o relato das falas de cada um eles.

CryptoRave é uma criptofesta com o objetivo de difundir os conceitos e softwares de criptografia e privacidade.

CryptoRave.

Informes

Chz1sHyXAAEQcdc

Fonte: @cmi_saopaulo .

  • Ano que vem, 48h (estamos pensando e recebendo $ já – comprar camisa ajuda) estimula mais gente de outros estados a virem;
  • Chegamos a convidar o Snowden, mas ele pediu alguns meses de antecedência, e tínhamos dias.

David Miranda

Ou vocês publicam tudo, The Guardian, ou sairemos e criaremos um site e publicaremos tudo (que Snowden vazou para Glenn Greenwald).

Fizemos isso, e depois conseguimos publicar também. O Glenn disse que me ia enviar os docs, não enviou, mas no dia seguinte sumiu apenas meu notebook (mesmo tendo 15 cachorros), cortaram minha “luz” (Light – Rio de Janeiro), me deixaram sem telefone, e claro, achei que já tinham matado Glen e iriam me matar. Não aconteceu.

No vôo, fui impedido de voar 2 dias antes, pois já estava planejado que eu fosse preso. OK, esperei. Quando desembarquei, 2 agentes me pararam e quiseram que eu os seguisse. Fiquei 9 horas sendo interrogado. Uma lei anti-terrorismo permitia isso, e eu também sabia que, se fosse preso, iria para Guantânamo, onde as pessoas podem ficar 8~9 anos presas sem julgamento. Ah, e se o agente não fosse com a minha cara, ele podia me dar voz de prisão, porquê sim, simplesmente. Passadas 12 horas, sem banheiro, água, nem comida, consegui um artifício para ser liberado, que foi fazer escândalo.

Depois desse acontecido, virei virei militante mesmo sobre a causa, comecei a organizar campanhas e publicar mais textos. Agora, a questão de criptografia e privacidade virou global. Estamos formatando uma campanha para democratização da mídia nas próximas semanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*