A Maravilhosa Cadeia da Reprodução Humana

Autora: Sara K., em 26/04/2013. Tradução/adaptação: Anders Bateva.

A reprodução humana não é algo monolítico, mas sim o resultado do encadeamento de diversos sub-sistemas para alcançar ao mesmo tempo a sobrevivência do mais apto, e a construção de algo tão complexo quanto um ser humano. Existem tantas, mas tantas coisas que podem dar errado nesse processo, que é surpreendente quão frequentemente isto dá certo.

Aqui está uma lista parcial dos elos desta corrente:

  • atração sexual;
  • vontade sexual
  • atratividade sexual
  • fertilidade
  • potência
  • habilidade de desenvolver um feto…
  • …sem matar a mãe no processo
  • parto
  • atração romântica (de forma que as pessoas mantenham-se juntas por tempo o bastante até cuidar da criança por alguns anos)
  • vontade romântica
  • amamentação (ou alternativas)
  • intenção de reproduzir-se biologicamente (isto é mais crucial quando controle de natalidade está disponível)

Muitas pessoas que querem filhos biológicos deparam-se com problemas em ao menos um destes elos – pois processos complexos têm altas taxas de fracasso.

Ao mesmo tempo, “a evolução” estimula a reprodução bem ferrenhamente, de forma que muitas pessoas que não querem filhos biológicos algumas vezes acabam deparando-se com uma gravidez. O único método de controle de natalidade que possui 100% de garantia de ausência de gravidez é a castração (apesar de que Dispositivos Intra-Uterinos, vasectomias, e em algumas circunstâncias, abstinência, podem chegar bem perto de 100%). A maior parte dos métodos de controle de natalidade tentam enfraquecer ou interferir com a cadeia – mas smente a castração rompe-a.

Suspeita-se que os homens na parte paterna da minha família tendem a ter baixa contagem de esperma, e meu próprio pai foi declarado infértil quando era um jovem adulto. O fato de que os homens na parte parterna da minha família tenderam a ter poucos ou nenhum filhos, mesmo sem controle de natalidade, é evidência. Ainda assim, alguns homens na família de meu pai obviamente conseguiram ter filhos biológicos, incluindo meu pai “infértil” – baixa contagem de esperma não significa nula contagem de esperma! Mesmo com este elo enfraquecido na corrente, os outros elos na corrente mantiveram a reprodução biológica adiante – por exemplo, de acordo com os comentários de várias pessoas, aspectos belos (isto é, atratividade sexual) são outra característica compartilhada pelos homens da família do meu pai.

Baseando-me na história das mulheres da minha família, eu muito provavelmente tenho ao menos um nível mediano de fertilidade, possivelmente mais alto, e neste momento, meu nível de atratividade sexual é alto. No meu caso, os elos frouxos são minha ausência de atração sexual e romântica, bem como baixas vontades sexual e romântica. Eu posso, se eu quiser, compensar estes elos com minha força-de-vontade (isto é, usar a “intenção de reproduzir-se biologicamente”), mas a maioria das pessoas não precisa usar tanta força-de-vontade para dar o pontapé inicial do processo de reprodução biológica.

Olhando o sistema abstratamente, é uma coisa maravilhosa. A corrente compensa os elos que inevitavelmente se afrouxarão neste complexo sistema, ao tentar emplacar o maior número de elos fortes quanto possível for.

Mas claro, isto não é inteiramente abstrato para seres viventes. Isto molda nossa sociedade, nossos relacionamentos, nossos corpos, nossos sentimentos – em resumo, nossa existência.

CC0 O texto deste post de Anders Bateva está liberado sob domínio público.
Baseado no trabalho disponível no The Notes Which Do Not Fit.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*