Porquê eu odeio o termo “solteiro”

Autor: Alex Black, em 08/12/2013. Tradução: Anders Bateva.


Eu odeio o termo “solteiro(a)”. Toda vez que tenho de preencher algum formulário ou me registrar em algum website, e eles têm uma pergunta acerca do meu status de relacionamento, realmente me incomoda ter de escolher “solteiro”. Toda vez que alguém me descreve como “solteiro” devido a eu não estar num relacionamento sexual e/ou romântico, isto me incomoda. “Solteiro” tem implicações que simplesmente não se aplicam a mim!

Para começo de conversa, estar solteiro implica em estar disponível. Na cultura estadunidense (e em várias outras também), a monogamia é vista como O Verdadeiro Caminho, então a maneira de dizer se alguém está, ou não, potencialmente aberto à ideia de formar um Relacionamento[1] com outra pessoa é descobrir se aquele alguém está atualmente em um Relacionamento. Presume-se que todos querem um Relacionamento, e se você disser que não quer um Relacionamento, as pessoas vão tentar te explicar que você está errado e que isso não pode ser dessa meneira – “você só não encontrou a pessoa certa ainda”, “você somente teve uma experiência ruim anteriormente”. As pessoas não irão aceitar que simplesmente não querer um Relacionamento seja uma razão válida para recusar os avanços de alguém. Sério, tente dizer “Eu não estou interessado em relacionamentos” para alguém que está lhe chamando para sair, e veja quão longo tempo esta pessoa irá gastar tentando debater com você. Se você disser “Eu já tenho um(a) namorado(a)”, porém, ou mesmo “Eu não gosto de você dessa maneira”, a maioria das pessoas não irá te pressionar.

Neste tipo de cultura, eu suponho que mesmo “não estou namorando” terá implicações de disponibilidade simplesmente pelo pensamento de todo-mundo-quer-um-Relacionamento. Mas “solteiro(a)”, em particular, é usado com o significado “não tenho um(a) parceiro(a), mas quero ter”. Isto implica não só disponibilidade, mas também interesse ou desejo em um Relacionamento. Por exemplo, alguém que vai a uma “noite dos solteiros” ou que descreve-se como “solteiro” num perfil online está anunciando sua disponibilidade e interesse. Alguém que está solteiro, mas não está buscando nada, precisa especificamente adicionar “por escolha própria”, à sua auto-descrição, se não quiser dar às outras pessoas a impressão errada (ou melhor ainda, se possível não mencionar ao todo seu status de solteiro).

Estar solteiro também é algo geralmente visto como temporário e indesejado. Se alguém está solteiro a muito tempo, as pessoas presumem que aquele alguém é indesejável ou tem algum problema. Se todo mundo quer sexo/romance, então se você não tem isto, você deve ser patético ou algo assim. E obviamente, todo mundo quer romance/sexo[2], então não obter nenhum é o mesmo que ser um perdedor patético. Termos para pessoas solteiras mais velhas são normalmente pejorativos: maluca dos gatos, encalhada, solteirona, ficou pra titia, etc. Mesmo se for de fato reconhecido que alguém pode simplesmente não desejar relacionamentos sexuais/românticos, então isto é visto como uma falha, algo a ser consertado. Qualquer coisa que não seja reconhecer que alguém poderia simplesmente, genuinamente, não querer sexo/romance, e ainda assim ser feliz e saudável.

Então… sim. Eu realmente odeio o termo “solteiro”, quando aplica-se a mim. Eu posso não estar em um Relacionamento, mas isto não significa que estou disponível, isto não significa que estou interessado, e isto não significa que sou indesejável ou que estou quebrado. Eu não estou “solteiro”, eu simplesmente não estou interessado.

Notas

  1. Estou usando Relacionamento, com inicial maiúscula, para me refereir a relacionamentos íntimos, importantes, e de longo prazo, que são tanto românticos quanto sexuais, ou que começam como românticos e presume-se que se tornarão, ou de fato se tornam, tanto românticos quanto sexuais. Isto é comumente visto como o único tipo de relacionamento que é um relacionamento “de verdade”; relacionamentos românticos não-sexuais, relacionamentos sexuais não-românticos, e relacionamentos não-românticos e não-sexuais são frequentemente invalidados como não sendo relacionamentos “de verdade” (eles “não contam” como o relacionamento mais importante/mais íntimo/de maior duração da vida de uma pessoa, mesmo que seja), e eu me recuso a perpetuar essa invalidação.
  2. Existe alguma distinção de gênero aqui. Presume-se que os homens estão interessados em sexo, enquanto as mulheres, em romance. É mais tolerado para os homens estar solteiros, pois presume-se que estarão fazendo sexo mesmo sem estar num relacionamento – exceto se for um virgem, ou se não estiverem transando o suficiente, casos nos quais presume-se que trata-se de alguém patético. De qualquer forma, espera-se que a maioria dos homens vá “sossegar o facho” e formar uma família, eventualmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*